Você já sentiu aquela “tremedeira” que dá nas pálpebras ou na região dos olhos? Entenda o porquê!

julho 11, 2017


Você já deve ter sentido um pequeno tremor repentino nos olhos. Apesar desses espasmos serem comuns, em determinadas ocasiões podem indicar algum tipo de problema.

Porém, segundo Dr. Wayne Cornblath, professor de oftalmologia do Kellogg Eye Center, da Universidade de Michigan, nos EUA, na maioria das vezes não são motivos para preocupação. “Eu acho que todo mundo tem esses espasmos de vez em quando. Você esfrega os olhos e eles passam”, relatou ele.

Wayne refere-se ao tipo de espasmo muscular que acontece em uma pálpebra (ou apenas uma parte dela, para ser preciso), que pode ser incômodo, mas geralmente desaparece em alguns dias, no máximo, geralmente passando em minutos ou segundos.


Caso esse problema seja incômodo demais, talvez seja preciso largar a cafeína, de acordo com o especialista. Embora os mecanismos exatos do tremor sejam um mistério, uma pesquisa da Universidade de York, no Canadá, mostrou que a cafeína libera neurotransmissores excitatórios, como a serotonina e noradrenalina. “A cafeína é um estimulante e aumenta a reatividade dentro dos músculos e nervos”, explicou Cornblath. Segundo ele, isso pode explicar como a cafeína provoca episódios ocasionais de tremor na pálpebra.

Dormir pouco também parece ter um efeito sobre o fato, embora as razões ainda sejam confusas. “A pesquisa mostrou uma correlação e sabemos que dormir mais pode ajudar, mas não sabemos o porquê”, disse Cornblath. O mesmo pode ser dito para espasmos musculares em geral, cujos motivos não são totalmente conhecidos. “Ouve-se falar muito sobre baixo nível de potássio ou desidratação, mas essas não parecem ser provas muito concretas”, acrescentou. 

O estresse também pode influenciar, segundo Dr.ª Rebecca Taylor, porta-voz clínica da Academia Americana de Oftalmologia. Quando se libera adrenalina por situações um pouco mais enérgicas, o estado elevado de excitação muscular pode manifestar-se em pequenas contrações ou espasmos, como na pálpebra.

Em casos raros, quando as pessoas controlam fatores como sono e estresse mas a contração persiste, Cornblath acredita que Botox resolva o problema, pois ele “desliga” temporariamente a conexão entre os músculos e os nervos.

Esses espasmos da pálpebra são geralmente benignos, porém, se eles se espalharem, é necessário prestar atenção, afirmam Cornblath e Taylor. Não é tão comum, mas ter um espasmo em um lado de sua face pode indicar algo mais grave, segundo Taylor.

Pode ocorrer também uma outra condição, chamada de blefaroespasmo, em que toda a pálpebra fecha ou pisca involuntariamente. Há algumas explicações potenciais para os dois casos, e um oftalmologista pode ajudar a descobrir o que está acontecendo, segundo ela.

A recomendação é sempre procurar um médico quando o problema persistir ou ser extremamente incômodo. Caso seja algo simples, passará num “piscar de olhos”.




Outras Notícias
© Improta e Andrade Comunicação LTDA
Camaçari em Foco Notícias