Prefeito Elinaldo recebe representantes do ligeirinho

Nenhum comentário
Foto: Angelo Pontes
Visando buscar um modelo de transporte lotação que se adeque a Camaçari, o prefeito Antonio Elinaldo esteve reunido nesta quinta-feira (27/7) com representantes dos motoristas, que realizam o transporte não regulamentado, popularmente conhecido como “ligeirinho”. Uma das maiores preocupações da Prefeitura de Camaçari é com os riscos que a população está exposta ao utilizar o transporte irregular.

Diante do exposto na reunião, ficou definido que serão formadas comissões com representantes da Câmara de Vereadores, da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STT) de Camaçari e dos profissionais que realizam esse tipo de transporte, além de uma audiência pública para debater melhorias para o segmento de transporte no município.

Para o prefeito Antonio Elinaldo, tendo em vista que Camaçari já é servida de transporte público regular, achar uma alternativa ao "ligeirinho" não é fácil. “Por isso, a possível regulamentação do serviço deve ser feita com cautela e planejamento. Vamos juntos construir um trabalho com a finalidade de buscar alternativas e soluções legais para este tipo de transporte no município, com objetivo de trazer melhorias à população, sem prejudicar o usuário do serviço, muito menos, os trabalhadores”.

Conforme o superintendente de Trânsito e Transportes Públicos de Camaçari, Armando Yokoshiro, a reunião foi baste produtiva. “Estamos comprometidos em tentar buscar alternativas à situação. Nesse sentido, serão estudadas experiências exitosas de outras cidades, com o mesmo porte de Camaçari, que já façam uso do modelo de transporte lotação, para tentar adequar à realidade do município”.

As viagens feitas pelos “ligeirinhos” ocorrem em veículos de passeio para vários locais da cidade. No município, assim como em todo o país, a prática do transporte clandestino é considera ilegal e o condutor flagrado terá o veículo apreendido e encaminhado ao pátio da STT de Camaçari.

De acordo com a Lei Municipal 1361/2014, que dispõe sobre as regras de combate ao transporte irregular de passageiros no âmbito do município e regulamenta as infrações aplicáveis, ao ser apreendido o veículo ficará retido e só será liberado mediante pagamento da multa, que varia, de acordo com o tipo de veículo, que pode ser de R$ 1.288, na primeira ocorrência, podendo chegar até R$ 5.014, além de pagar os preços públicos que são referentes à diária e ao guincho.  No caso de reincidência, o valor é dobrado.

Ainda participaram da reunião o vice-prefeito, José Tude, representantes jurídicos dos condutores do “ligeirinho”, e o vereador Jorge Curvelo.





Nenhum comentário

Postar um comentário