Banhistas fazem "corrente humana" e salvam família de afogamento em praia

Nenhum comentário

O que seria um simples passeio na praia em família quase acabou em tragédia, se não fosse pela boa vontade, solidariedade e uma "corrente humana" formada por banhistas nos Estados Unidos. Roberta Ursrey curtia a praia de Panama City na Flórida no último sábado (8), na companhia da mãe, marido, filhos e sobrinhos. A tarde de diversão se transformou em drama de uma hora para outra.


Após tomar um banho de mar, Roberta não encontrou seus filhos. Quando os viu, estavam bem longe da areia. Eles já choravam e gritavam que estavam sendo puxados para o fundo do mar pela correnteza.
Desesperada, a mulher e seus outros familiares correram para tentar salvar as crianças. Devido à força do mar, porém, acabaram puxados também pela força da água. Foi quando a banhista Jessica Simons e seu marido perceberam uma movimentação em volta da água.
A princípio, o casal acreditou ser por conta de um tubarão. Ao notarem que 9 pessoas estavam se afogando, a mulher pegou uma prancha de bodyboard que havia encontrado na areia e nadou em direção à família, enquanto seu marido começou a formar uma corrente humana para ajudar a trazer as pessoas de volta à areia. No momento dramático, Jessica revelou ao jornal New Herald ter sido forte em seu instinto: "Essas pessoas não vão se afogar hoje. Não vai acontecer, nós vamos tirá-las de lá". 
Enquanto Jessica remava, a corrente humana foi aumentando, com 80 pessoas dando as mãos e alcançando uma distância de quase 100 metros. Segundo a mulher, algumas delas mal sabiam nadar, mas quiseram participar ficando no raso para ajudar a tirar a família em perigo.
A mãe de Roberta Ursrey sofreu um infarto ao ser resgatada e chegou a pedir que a deixassem e salvassem o restante de seus familiares. Mas aos poucos, Jessica e seu marido, com a ajuda da corrente humana, conseguiram salvar a todos, um por um. "Foi algo impressionante de ver. Essas pessoas que nem se conhecem confiando umas nas outras para poder salvar a família", conta Jessica.
Roberta comentou que não lembra de ter sido resgatada - se recorda apenas de acordar na praia após ter desmaiado. "Eu sou muito grata. Essas pessoas são anjos de Deus que estavam no lugar certo, na hora certa. Eu devo a minha vida e a vida da minha família a eles. Sem eles não estaríamos aqui", completa. A mãe da mulher foi retirada de ambulância e precisou ser reanimada e continua no hospital. Um de seus sobrinhos quebrou a mão, mas passa bem. Os outros continuam se recuperando, mas sem ferimentos graves.
"É muito legal perceber que nós temos nossas próprias vidas, estamos sempre na correria, mas quando alguém precisa, todos param o que estão fazendo e ajudam. Foi muito inspirador ver que ainda temos isso. Com tanta coisa acontecendo no mundo, ainda temos humanidade", declarou Jessica Simmons.
UOL




Nenhum comentário

Postar um comentário