Após chuvas, reservatórios de Salvador e RMS têm melhora no nível de água

Nenhum comentário
Foto: Marco Aurélio Martins

As chuvas que atingiram Salvador, Camaçari e demais cidades da região metropolitana, durante os meses de maio e junho deste ano, promoveram uma melhora no nível dos seis reservatórios que abastecem as localidades. Com a alta do volume de água, o racionamento, que chegou a ser cogitado pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), está suspenso. As informações foram divulgadas pela Embasa nesta terça-feira (4).

Segundo a Embasa, quando considerado o volume útil, que é calculado entre o nível máximo e o nível de captação da água, ou seja, a parcela do volume que pode ser utilizada, os mananciais apresentam atualmente os seguintes percentuais de armazenamento: Pedra do Cavalo (24,38%), Santa Helena (32,96%), Joanes 2 (65,51%), Joanes 1 (96,36%), Ipitanga 1 (49,04%) e Ipitanga 2 (61,39%).


Até o início de maio, a situação era diferente. Conforme levantamento feito pela embasa, na época, as barragens estavam com volume considerado baixo. O percentual de água que poderia ser usada em casa reservatório era: Pedra do Cavalo (23,92%), Santa Helena (9,83%), Joanes 2 (23,52%), Joanes 1 (89,82%), Ipitanga 1 (22,20%) e Ipitanga 2 (45,93%).

De acordo com a Embasa, a barragem Joanes 2, que era a mais afetada pela estiagem na época, foi a que mais apresentou melhoras. O aumento registrado no manacial foi de 41,99% durante o período de chuva.

Já a barragem de Pedra do Cavalo foi a que menos teve resultados positivos. Segundo a Embasa, o volume de água do manancial se manteve praticamente estável, com aumento de apenas 0,46%. O nível é considerado abaixo do esperado para a época do ano.


Nenhum comentário

Postar um comentário