SAMU de Camaçari recebeu mais de 12 mil trotes este ano

Nenhum comentário
Foto: Divulgação

De janeiro a maio desse ano, o SAMU 192 de Camaçari já recebeu 12.929 trotes. Uma média de 2.585 ligações de chamados falsos por mês. Por dia são 86 ligações falsas. De acordo com Elaine Teixeira, diretora da Alta e Média Complexidade da Secretaria de Saúde de Camaçari, o número é alarmante e preocupante. “Cada trote recebido acaba tomando o lugar de uma chamada que pode salvar a vida de alguém”.


A maioria dos trotes é feita por crianças e adolescentes. “A equipe do SAMU na maioria das vezes consegue identificar quando a ligação é um trote. Contudo, em outros a ambulância com a equipe médica acaba sendo deslocada para um chamado falso prejudicando que realmente liga precisando do socorro”, explica Elaine.

Em muitas ligações os trotes são de crianças que ligam apenas para ficar cantando ou proferir xingamentos. “Existe uma forma de coibir esse número elevado de trotes através de um sistema usado hoje em Salvador e em outros municípios. Esse sistema grava o número dos telefones que ligam passando trotes e bloqueia novas ligações. Contudo a principal ferramenta para coibir tantos trotes é através de uma campanha de conscientização em todas as escolas do município e através dos pais educando seus filhos. Afinal, uma brincadeira de mau gosto pode tirar a vida de uma pessoa”, afirma Elaine Teixeira.

A brincadeira de passar trote telefônico gera custos e diminui a eficiência da operação do SAMU 192, colocando pessoas que realmente necessitam desse serviço em risco. Segundo estudo realizado pelo Senado, os prejuízos causados pela prática somam mais de R$ 1 bilhão todos os anos em deslocamento, horas de trabalho e efeitos colaterais consequentes dos atendimentos a chamados falsos que denunciam crimes, incêndios, chamados para ambulância, etc.

Via de regra passar trote telefônico é uma infração penal em todas as situações, havendo significativas distinções dependendo do trote realizado e do destinatário da ligação. O ato pode ser considerado desde uma contravenção, até um crime efetivamente – o que apresenta resultados diferentes no que diz respeito à pena e ao tipo de privação de liberdades e/ou direitos.

Ascom/PMC

Nenhum comentário

Postar um comentário