Bahia é o segundo estado com maior número de crianças trabalhando

junho 12, 2017

Foto: Agência Brasil

A Bahia continua com um dos maiores números do trabalho infantil em relação aos demais estados do país. Houve uma queda de 74,4% entre 2002 e 20015, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do IBGE. Os dados mais recentes apontam que 71.773 crianças estão trabalhando em 2015 no estado. Nesta segunda-feira (12), é o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil.

Apesar disso, a Bahia continua em segundo lugar no Brasil, atrás apenas de Minas Gerais, que tem 93.015 pessoas de 5 a 14 anos trabalhando. O trabalho nesta faixa etária é proibido por lei.

De acordo com o IBGE, em 2002, praticamente 1 em cada 10 crianças baianas de 5 a 14 anos trabalhavam (9,7%). Em 2015, essa relação caiu para 2,9%, o que mantém o estado entre os 10 com maiores percentuais de crianças de 5 a 14 anos trabalhando (nível da ocupação).

Na Bahia, o trabalho infantil é predominantemente masculino (69,7%) e agrícola (62,1%). Meninas representam cerca de 30% das crianças que trabalham, e 18% das meninas que trabalham (3.917) estão nos serviços domésticos.

Nesse ranking, a Bahia passou da 6ª para a 8ª posição, entre 2002 e 2015, ficando bem acima de estados nordestinos como Alagoas e Ceará, onde apenas 1,4% e 1,1% das crianças trabalham respectivamente. Isso porque a redução do número de crianças trabalhando nessas unidades da federação (-85,4% em Alagoas e -91,6% no Ceará) foram bem mais intensas que na Bahia (-74,4%), que teve apenas a 11ª maior redução no trabalho infantil, dentre os 27 estados brasileiros.

No Brasil como um todo, a redução do trabalho infantil também foi expressiva: de 2002 para 2015, o contingente de crianças de 5 a 14 anos trabalhando caiu 70,8%, passando de 2,2 milhões para cerca de 639 mil. O percentual de crianças trabalhando também recuou de 6.5% para 2,1% nesse período.

Correio
Outras Notícias
© Improta e Andrade Comunicação LTDA
Camaçari em Foco Notícias