Candeias: Município disponibiliza 13 mil doses da vacina contra a febre amarela

abril 03, 2017


A Secretaria de Saúde vai disponibilizar cerca de 13 mil doses da vacina contra a febre amarela. A vacinação acontece durante a semana nos postos do Programa Saúde da Família dos bairros e distritos da cidade. Nenhum caso da doença foi notificado no município segundo o último boletim divulgado  pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), na última quarta-feira (29).

Cerca de 400 mil doses extras da vacina foram liberadas na última quinta-feira (30), a fim de imunizar os indivíduos que não possuem duas doses registradas no cartão de vacinação. Até a sexta-feira (31), 663.453 pessoas foram vacinadas em 93 municípios do estado.

Na Bahia, até a terça-feira (28), foram notificados 16 casos suspeitos de febre amarela em humanos em oito municípios. São eles: Coribe (4), Feira de Santana (1), Ilhéus (1); Itamaraju (2), Itiúba (1), Mucuri (1), Nova Viçosa (1), Teixeira de Freitas (3) e 2 casos com pessoas residentes no estado de Alagoas (que passaram por vários locais na Bahia). Destes, sete casos foram descartados laboratorialmente (Coribe – 4; Mucuri – 1; Teixeira de Freitas – 2) e nove casos permanecem em investigação, aguardando resultados laboratoriais.

Quanto às epizootias, até o dia 28 de março, foram notificadas 104 epizootias de Primatas Não Humanos (PNH) em 42 municípios do estado. Foram encaminhadas 51 amostras/animais em condições de análise para o Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Moniz (Lacen). Destes, 23 PNH foram positivos para Febre Amarela Silvestre, nos municípios de Alagoinhas, Camaçari, Catu, Cordeiros, Feira de Santana, Ituberá, Nova Viçosa, Ouriçangas, Pedrão, Salvador, Santa Rita de Cássia, São Felipe e São Miguel das Matas.

A vacina da febre amarela é de duas doses, tanto para adultos quanto para crianças. As crianças devem receber as vacinas aos nove meses e aos quatro anos de idade. Assim, a proteção está garantida para o resto da vida. Para as pessoas que não tomaram a vacina na infância, a orientação é tomar uma dose da vacina e outra de reforço, dez anos depois da primeira.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina é contraindicada para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Para estes grupos, a orientação é que a pessoa busque ajuda médica, cujo profissional de saúde avaliará o benefício e o risco da vacinação, levando em conta o risco de eventos adversos.

Outras Notícias
© Improta e Andrade Comunicação LTDA
Camaçari em Foco Notícias