Senadores estão entre beneficiários de US$ 40 milhões em propina, diz MPF

fevereiro 23, 2017


A 38ª fase da Operação Lava Jato, que tem como alvos dois operadores financeiros ligados ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), apura o pagamento de US$ 40 milhões de propinas durante 10 anos. Segundo as investigações, entre os beneficiários, há senadores e outros políticos, além de diretores e gerentes da Petrobras.

Os operadores financeiros investigados nesta fase da operação, deflagrada na manhã desta quinta-feira (23), são Jorge Luz e o filho dele, Bruno Luz. Em referência ao sobrenome deles, a nova etapa foi batizada de “Blackout”, que significa “apagão” em inglês.

Conforme o Ministério Público Federal (MPF), os dois operadores financeiros faziam o meio-de-campo entre quem queria pagar e quem queria receber propina envolvendo contratos com a Petrobras. Para tanto, utilizavam contas na Suíça e nas Bahamas.

Ainda de acordo com o MPF, pai e filho atuavam, principalmente, na Área Internacional da Petrobras, área de indicação política do PMDB. No entanto, em um dado momento, ambos passaram a solicitar propina para o PMDB também na diretoria de Abastecimento, setor de atuação do Partido Progressista (PP).

Além disso, ainda segundo informações do MPF, os operadores também atuaram na diretoria de Serviços, que era área de atuação do Partido dos Trabalhadores (PT).

Em nota, o PMDB informou que os operadores “não têm relação com o partido e nunca foram autorizados a falar em nome do PMDB”.

Com informações do G1
Outras Notícias
© Improta e Andrade Comunicação LTDA
Camaçari em Foco Notícias