SAMU de Camaçari opera com 30% de sua capacidade, diz secretário


Ascom/PMC

Rádios quebrados, gravador de chamadas com defeito e frota de ambulâncias reduzida têm feito com que a SAMU de Camaçari opere 70% abaixo de sua capacidade. Esse foi o quadro encontrado pelo secretário e o subsecretário de Saúde do Município, Elias Natan e Luiz Duplat, na visita que fizeram à base do SAMU localizada ao lado da Unidade Básica de Saúde da Gleba B. O cenário visto não foi nada animador. 


“Camaçari precisa de sete ambulâncias do SAMU. Hoje, temos apenas duas. Uma unidade básica e outra avançada. Isso porque conseguimos consertar uma essa semana. Pois existia apenas uma. Estamos trabalhando a todo vapor para entregar mais duas ambulâncias, que estão na oficina, nos próximos dias. Para assim termos pelo menos quatro ambulâncias à disposição da população”, afirmou Natan.

Entretanto, de acordo com Luiz Duplat, esse conserto das ambulâncias é apenas um paliativo, pois, relatório da administração do SAMU mostram que as unidades em uso estão defasadas e precisam ser substituídas. “Essas ambulâncias vivem indo e vindo da oficina. Elas precisam ser substituídas. Toda a nossa frota do SAMU. Para isso estamos preparando um relatório técnico que levaremos ao Ministério da Saúde atestando a necessidade urgente dessa substituição”, explica.

“Fomos contemplados com uma nova unidade móvel avançada para o SAMU, através do Ministério da Saúde, ainda não temos prazo para recebe-la. Enquanto isso, trabalharemos para colocar todas as unidades que estão na oficina, e com condições de conserto, de volta às ruas. Estamos enfrentando alguns problemas de encontrar peças de substituição. Mas, a população pode ter certeza que a determinação do prefeito Elinaldo é de resolvermos esse problema com urgência”, finalizou Natan.