Juro do cartão de crédito sobe para 484,6% ao ano e atinge patamar mais alto da série histórica


Os juros médios cobrados pelos bancos nas operações com cartão de crédito rotativo tiveram aumento de 2,4 pontos percentuais em dezembro de 2016 e subiram para 484,6% ao ano. O dado foi divulgado na manhã desta quinta-feira (26), pelo Banco Central. Modalidade mais cara do mercado, os juros do cartão de crédito atingiram o patamar mais alto da série histórica, que teve início em março de 2011. 

No ano passado, a taxa do cartão de crédito rotativo teve alta de 53,2 pontos percentuais e em novembro os juros já estavam em 482,2%. Já no caso do cheque especial, os juros médios cobrados pelos bancos nas operações envolvendo pessoas físicas tiveram queda em dezembro e passaram de 330,6% ao ano para 328,6% ao ano. 

No último dia 19 de janeiro o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, declarou que é "é preciso repensar o sistema de cartões de crédito brasileiro e melhorá-lo ao longo do tempo". Ele chegou a lembrar que o governo anunciou medidas para reduzir os juros do cartão, que estão em quase 500% ao ano, mas alertou que as mudanças não devem se restringir ao que já foi divulgado. 

"O cartão tem uma medida (já anunciada) e tem uma discussão que vai continuar depois. A gente tem de repensar um pouco o nosso modelo. O modelo funciona, mas a gente acha que pode melhorar ao longo do tempo", disse o presidente do BC a jornalistas.

No ano passado, o governo divulgou que vai adotar medidas, já no primeiro semestre de 2017, para reduzir os juros do cartão. De acordo com o presidente Michel Temer, a ideia é limitar para até 30 dias o prazo para o pagamento do rotativo, que é quando é feito o pagamento do valor mínimo da fatura, com o parcelamento do restante.Com isso, o governo espera que os juros do parcelamento caiam pela metade. 

Correio